Quarta-feira, Maio 24, 2017
pt-ptende
Inicio | Portugal | Entrevistas | Viajar pelo mundo de comboio
seat61

Viajar pelo mundo de comboio

Steam onO senhor Mark Smith fez de um hobby aventureiro a sua profissão. Desde a estacão de comboios de Marylebone até Buckinghamshire, a noroeste de Londres, onde ele vive com a sua mulher Nicolette, os seus dois filhos, Nathaniel (8) e Katelijn (6) assim como com Kater Phoenix, o seu comboio da companhia ferroviária de Chiltern Railways precisa de até 90 minutos para fazer 60 km. Antigamente, o próprio Mark trabalhava para a companhia de comboios britânica, hoje ele dá informações a todos os viajantes sobre todas as rotas dos caminhos- de-ferro do mundo. Quer viajar de Portugal para Inglaterra no comboio, ou de Lisboa para Moscovo, Vladivostok, Pequim ou para Calcutá? Não há problema. O Mark Smith conta-lhe todas as aventuras em cada caminho possível, a que horas e de onde o comboio parte e onde chega, inclusive as mudanças, e quanto tudo isto custa.

Uau. A sua página eletrónica, que é atualizada diariamente, é única em todo mundo. Seja com o Alfa Pendular, com o comboio noturno para Lisboa, o intercidades, o TGV, o Eurostar, o ICE ou com o Expresso do Oriente para Istambul e depois até Isfahan ou Teerão; ele tem todas as informações para os seus visitantes e no caso de grandes viagens, há informações para aventuras prósperas na sua página web www.seat61.com. É só clicar.

Trevor Pritchard do nosso escritório ECO123 inglês, visitou Mark Smith e perguntou-lhe porque é que ele colocou estes serviços online gratuitamente. “Já faço isto desde 2007 a tempo inteiro. O trabalho da atualização leva muito tempo e sabes o quê, este trabalho dá-me muito mais prazer. Quero dizer, trabalhei durante muitos anos para a British Rail. Isso dá conhecimento. Hoje viajo eu próprio e vejo o mundo em rodas.” E gratuitamente? “Porque com isso também quero ajudar um pouco a fazer com que se viaje de forma mais amiga do ambiente.”

Mark Smith
Mark Smith

E verdadeiramente, enquanto na Europa se tem de clicar em cada companhia de comboios, para se estudar os horários de partidas e de chegadas – quem já conhece as páginas eletrónicas das companhias de caminhos-de-ferro europeias? – A página de Mark Smith www.seat61.com está a milhas de distância das páginas das companhias estatais e dá qualquer tipo de assistência aos viajantes de comboio interessados. Do seu trabalho diário faz parte o resumo das partidas e chegadas de todos os horários online do mundo, a pesquisa em todas as companhias de caminho-de-ferro nacionais, regionais e locais. Porque ele tem uma comunidade bastante alargada, esta também lhe fornece muitas informações e também fotos de um valor incalculável. “Ainda não tive nenhuma reclamação.”, sublinha Mark Smith junto à ECO123.

Para chegar a um site tão valioso em termos de informação, começou com uma pequena página, aprendeu bastante rápido “Como construir um website em HTML“. Depois disso a sua página começou a crescer devagar mas de forma estável. Primeiro concentrou a sua atenção em todas as ligações de comboio da europa ocidental. Depois juntaram-se muitas informações detalhadas: como quanta bagagem pode levar um viajante de comboios, que medidas podem ter as malas no EUROSTAR? Comprimento máximo 85 cm. Quanto custa levar uma guitarra nas viagens? Onde há alojamento bom e barato? Depois juntou-se a Europa de Leste e depois a Tailândia, a Índia e a China, mais tarde o Uzbequistão, na Ásia, e o Norte e o Sul da América, em seguida, a Austrália, a Nova Zelândia. “Para mim é um verdadeiro prazer juntar também todas as informações à volta da viagem de comboio e não só colocar as partidas e as chegadas”, enfatiza à ECO123. A propósito, 50% dos visitantes da sua página seriam do sexo feminino, muitas famílias e também já jovens a partir dos 20 anos para cima. O trabalho a tempo inteiro como administrador da página do seu próprio site, com brevemente cem mil visitantes mensalmente, é financiado por publicidade.

Ryanair eat my shortsPorque fazes isto, perguntamos a Mark Smith, que responde “eu não montei a página por causa das viagens mais amigas do ambiente. Mas se me pergunta, se posso aconselhar viagens de comboio, claro que posso. Especialmente em países que se desenvolvem de forma agressiva, como acontece aqui na Grã-Bretanha e os voos de avião, ao mesmo tempo, ficam cada vez mais baratos. Da perspetiva do meio ambiente, o querosene de aviação não está sujeito a impostos, porque os aviões viajam internacionalmente e são apoiados. Mas o seu balanço climático é devastador. Na realidade os outros meios de transporte estão sujeitos a impostos e tornam-se menos atrativos.

Isto não se pode dizer da www.seat61.com. Perguntamos-lhe se há boas notícias? “Sim, em Abril vou testar a ligação de Paris a Moscovo. Planeio uma viagem de teste no Caledonian Sleeper [comboio noturno] e tenho um bilhete para o primeiro Eurostar de Londres a Marselha no dia 1 de Maio. E espero poder viajar de Pequim a Lhasa (Tibete) em Setembro.”

Mas porquê o nome “seat61“?
Se você, caro(a) leitor(a), descobrir a resposta, pode ganhar uma viagem com a CP da sua localidade do país até Monchique (será que Monchique tem uma estação de comboios?), um fim-de-semana para duas pessoas (alojamento com pequeno almoço) na estância termal “Caldas de Monchique” e um passeio ida e volta até à Picota. Primeiro a chegar, primeiro a ganhar… Envie a sua resposta para info@eco123.info

About the author

Uwe Heitkamp, 53 anos, jornalista e realizador, vive 25 anos em Monchique, Portugal. Adore caminhadas na montanha e natação nas ribeiras e barragens. Escreve e conte histórias sobre os humanos em relação com a ecologia e a economia. Pense que ambas devem ser entendido em conjunto. O seu actual filme “Herdeiros da Revolução” conta durante 60 minutos a história de uma longa caminhada, que atravessa Portugal. Dez protagonistas desenham um relatório da sua vida na serra e no interior do país. O filme mostra profundas impressões entre a beleza da natureza e a vida humana. Qual será o caminho para o futuro de Portugal? (Assine já o ECO123 e receberá o filme na Mediateca)

Check Also

Investir na eficácia energética da habitação

e descarbonizar a mobilidade O ano de 2016 foi o mais quente desde que se …

Deixar uma resposta