Donnerstag, Juli 18, 2019
pt-ptende
Startseite | Comentário sobre TTIP

Comentário sobre TTIP

Acredito e tenho esperança no projeto Europeu, assim como nos projetos que ocorrem um pouco por todo o mundo e que tentam criar um presente e um futuro onde consigamos criar visões colectivas e implementar ações concretas respondendo aos Objectivos do Desenvolvimento Sustentável. Relativamente ao tema da TTIP, verifico que a Comissão Europeia (CE) tem tido bastante cuidado em colocar “tudo” disponível na internet para os cidadãos mais curiosos e ativistas. Escrevi “tudo” pois mesmo a CE refere num capítulo sobre transparência que por motivos de “confiança” nos parceiros (negociadores) não disponibiliza toda a informação em discussão. A apresentação e as análises diversas (incluindo umas independentes) identificam claramente os vários “benefícios” da TTIP, especificamente para as PME (Pequenas e Médias Empresas). Por outro lado, respondem às “preocupações” referindo que todo o processo é transparente, participativo através de consultas públicas, e que no final serão os governos e os membros do Parlamento Europeu que irão decidir o quê, como e quando aplicar a TTIP.
Já eu sou crítico da estratégia Europeia pela Economia Competitiva, adjetivo que continua a dificultar com que as economias nacionais e locais estejam estáveis e saudáveis, com impactos positivos para os sistemas sociais e ecológicos. A ter como exemplo o procedimento “troikiano” para resolver as recentes crises financeiras, assim como a forma como os Estados Unidos atuam no Mundo a favor do interesse próprio, e em detrimento da Humanidade, olho para a TTIP com alguma cautela. A somar a isto considero que vários standards Europeus são bem mais elevados que os dos EUA, e que as negociações possam levar a que vários desses standards nas áreas da produção de alimentos, regulação financeira, entre outros, possam baixar. Por outro lado, a possibilidade de uma empresa poder colocar um governo num tribunal arbitral devido a decisões que o governo tomou para bem da sua população ou ambiente e que causou potenciais perdas de lucro no futuro, pode custar bem caro ao governo caso a empresa ganhe o processo em causa. Após 97% dos Europeus que participaram da consulta pública referirem que estavam contra o tratado, a Comissária Europeia responsável por este tema referiu que irá tentar reforçar a capacidade dos governos para poderem tomar medidas livremente, retirando este potencial direito das empresas.
Terminando, gostaria de referir que enquanto não começarmos a construir confiança nas nossas comunidades mais próximas, e sendo exemplar e exigindo responsabilidade aos níveis superiores, nunca iremos poder confiar em tratados. Estes serão sempre imperfeitos e falíveis, assim como as pessoas que nos “representam” e que, como sabemos, olham bastante mais para o umbigo e para a cadeira onde no futuro se querem ou irão sentar. E para me despedir pela positiva, apelo à cidadania ativa e responsável, que acontece todos os dias, quando votamos no mundo em que queremos, ao fazer as compras para a casa, como nos ligamos à família e amigos e em como nos transportarmos para o emprego, e que este, se possível, contribua para tornar o Mundo um lugar melhor para viver.

About the author

Gil Pessanha Penha-Lopes Tem 36 anos. É um pai recente que dedica a sua vida a estudar a Natureza. Desde 2011, pesquisa soluções de adaptação às mudanças climáticas a serem aplicadas ao nível local, bem como outros paradigmas que sustentem a resiliência comunitária, tais como a Transição, a Permacultura e a Biomimética. Lecciona, desde 2013, no Doutoramento em Alterações Climáticas e Políticas de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Lisboa.

Check Also

Wir haben ein Auge auf euch

ch habe bei der letzten Kommunalwahl einen Fehler gemacht. Nachdem ich zwei Mal bei vorherigen …

Hinterlasse eine Antwort

Diese Website verwendet Akismet, um Spam zu reduzieren. Erfahre mehr darüber, wie deine Kommentardaten verarbeitet werden.