Home | Portugal | Vida | Culinária | Nº 73 – A piza à alsaciana (Flammkuchen)

Nº 73 – A piza à alsaciana (Flammkuchen)

Sábado 6 de Fevereiro de 2021

Uma das receitas favoritas na nossa família é o “flammkuchen” ou a “tarte flambé”, já que se trata de uma especialidade típica do Sudeste de França. Existe em mil e uma variações na Lorena, mas também na Alsácia, na Suíça e no estado alemão de Sarre. E, como pode ser facilmente feita sem carne ou peixe, é uma ótima opção para uma refeição vegetariana. Nós, por vezes, optamos por uma versão vegana, mas adoramos, e hoje vamos juntar os produtos feitos com o leite das cabras de António Nascimento, os ovos biológicos das galinhas criadas ao ar livre pelo Eric Henriques, e o mel das abelhas do apicultor António Maria Nunes Valério. São produtos locais que temos o privilégio de ter cá em Monchique.

A base de todos os “flammkuchen” é a massa. Esta é preparada a partir de farinha, água, azeite e sal, e depois é estendida, de forma a ficar bem fina. Gostamos de usar farinha integral de espelta. Para que a massa fina fique bem crocante, o segredo é uma cozedura breve antes de colocar a cobertura. O “crème fraîche”, o “quark” ou o iogurte de leite de cabra, é feito por nós próprios a partir do leite de cabra, uma vez por semana. São ingredientes que qualquer italiano estranharia numa piza.

Também costumamos ter beterraba e maçãs. Eu, pessoalmente, prefiro as variedades Jonas Gold ou Pero-de-Monchique. Também recomendamos a geleia de marmelo ou o doce de alperce da Quinta do Freixo, em Benafim (Loulé). As nozes são do nosso jardim ou de um amigo com quem as trocamos por outros produtos. Temos sempre um cesto grande com nozes para os tempos difíceis. Elas são um alimento precioso para quando se precisa de muita energia, como por exemplo em caminhadas longas. Também temos noz pecan de Monchique. A curgete, o tomate e o pimento vermelho abundam, de momento, na nossa horta, bem como a rúcula e a cebola. Quem goste, pode usar queijo de cabra em rolo como cobertura para esta piza francesa, mas também fica bem um queijo curado típico da sua região. Nós tentamos comprar produtos locais, cá de Monchique, do Algarve, e também do Alentejo ou do resto de Portugal. A maior parte dos produtos que usamos são produzidos a menos de uma hora de caminho. O vinho é uma exceção.

Gostamos de acompanhar este prato com um vinho tinto leve. Não são fáceis de encontrar em Portugal. A maior parte dos vinhos são pesados e têm sulfitos. Procurámos pelo Alentejo, no Algarve, e mais a Norte, na região do Douro. Mas só o encontrámos no centro de Portugal. Vamos abrir uma das seis garrafas de vinho tinto de agricultura biológica das castas Touriga Nacional e Syrah que encomendámos na nossa mercearia bio. Tem uma graduação de 12,5% e é da Sertã, Beira Baixa. É de um pequeno produtor regional, chamado Bonjardim, e eu gosto muito do de 2012, mas o de 2015 também é excelente. A garrafa é elegante e a etiqueta humilde. O tinto de 2012 tem um fim de boca mais interessante. E só custa cinco euros por garrafa. Hubert Lenders, o produtor, escolheu seguir o caminho da qualidade aliada ao respeito pela Natureza. (www.bonjardim.eu)

E, por fim, não esqueçamos a salada da nossa própria horta e a sobremesa. Normalmente, confecionamo-la com produtos da região: as amêndoas, os figos e a alfarroba. Vamos fazer um bolo. A receita só estará disponível online, em www.eco123.info.

A receita para o

“FLAMMKUCHEN”

Para a base:

(quantidades para 2 pessoas)

  • 200 gr de farinha;
  • 2 colheres de sopa de azeite;
  • 125 ml de água;
  • 1 pitada de sal.

Preparação:

  1. Preaqueça o forno a 200 – 250º C;
  2. Coloque 200 gr de farinha numa tijela e forme no centro uma cavidade; Junte o azeite, a água e o sal e amasse tudo até formar uma massa lisa;
  3. Estenda a massa com um rolo sobre uma superfície polvilhada com farinha até ficar bem fininha. Coloque-a, depois, sobre o tabuleiro de ir ao forno (poderá estender a massa entre duas folhas de papel para o forno, polvilhadas com farinha);
  4. Para pré-cozer a massa, coloque-a no forno durante 5 minutos. Depois retire, para colocar a cobertura. Assim, a massa ficará bem crocante.

Ingredientes para a cobertura:

  • Crème fraîche, iogurte ou quark;
  • Sal e pimenta;
  • Legumes (beterraba, curgete, pimento);
  • Fruta (maçã ou pera), da sua preferência;
  • Queijo de cabra em rolo (chèvre);
  • Algumas nozes;
  • Rosmaninho acabado de colher;
  • Mel.

Preparação:

  1. Misture duas colheres de sopa de crème fraîche, uma colher de sopa de iogurte ou quark, temperadas com sal e pimenta, e espalhe esta mistura numa camada fina sobre a massa;
  2. Corte os legumes e a fruta em fatias finas e distribua-as sobre a massa;
  3. Corte o chèvre em fatias e coloque sobre os legumes e a fruta;
  4. Polvilhe a gosto com nozes e rosmaninho picados;
  5. Coloque um fino fio de mel sobre esta cobertura;
  6. Leve ao forno a 200 – 250º C durante 10 a 20 minutos.

Dê lugar à sua fantasia e criatividade no momento de colocar a cobertura.

Bom apetite!

Stefanie Kreutzer & Uwe Heitkamp

traduções: Fernando Medronho & Chris Young | fotografias: Dpa, Stefanie Kreutzer
Publicidade

Check Also

Nº 82 – A experiência torna-nos mais fortes…
com galeria de fotos

Faro, Sábado 10 de Abril de 2021 A reconstrução, depois da destruição por um incêndio, …

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.