Home | Economia | Investimento | Investimento sustentável
Schepershof

Investimento sustentável

As definições são muitas vezes muito particulares e distinguem-se substancialmente. Existem abordagens que podemos seguramente descrever como Greenwashing, e ainda outras que têm em conta critérios puramente sociais ou ecológicos. Se a filosofia que está por detrás de um investimento corresponde a valores próprios, só podemos garantir isso se questionarmos em concreto as condições e o contexto. Mas isto também é economicamente essencial, porque verifica-se que muitas empresas de investimento tiraram partido da atitude positiva de investidores privados, especialmente para sistemas ecológicos. Neste contexto, a ECO123 quer transmitir uma base para um adequado entendimento.

Em primeiro lugar, quero ocupar-me dos depósitos bancários. O que acontece realmente com o dinheiro que é colocado numa caderneta de poupança? O fundo do depósito está à disposição do banco, que trabalha com esse dinheiro. E o que significa “trabalhar com esse dinheiro”? O modelo bancário clássico determina que nós ao pouparmos juntamos dinheiro e que sob a forma de crédito o colocamos à disposição daqueles que, por exemplo, necessitam dele para investir. Para além deste modelo bastante clássico, hoje os bancos exercem também actividade em outras áreas. Por isso é inteiramente realístico que a sua instituição de crédito não conceda nenhum financiamento (crédito) com os depósitos dos seus clientes, mas que os use antes para especulações em matérias-primas, moedas e acções. Mesmo que a instituição de crédito conceda de facto empréstimos à economia real, o aforrador orientado para a sustentabilidade deveria sempre questionar-se sobre a quem e o que o banco financia. Estarão a ser financiadas desta maneira as companhias de armamento, as companhias que fabricam géneros alimentícios geneticamente manipulados, ou que constroem centrais nucleares, ou cuja cadeia de distribuição não está isenta do trabalho infantil?

Também a questão da dispersão geográfica de uma instituição pode ser interessante. Trabalhará ela  num plano regional ou predominantemente internacional? A resposta a tais questões deveria ser dada no relatório de contas anual ou idealmente num relatório de sustentabilidade. Daí falar do tema da transparência. Também a estrutura de propriedade de um banco pode permitir tirar conclusões. Idealmente, os interesses de todos os envolvidos estarão em sintonia com os interesses do dono do banco (ex. accionistas, sócios, etc), dos colaboradores e dos clientes. Todos os pontos já referidos têm também influência sobre a questão das condições. Tal como os alimentos biológicos têm o seu preço, também um bom serviço bancário que tem em conta todos os aspectos traçados, tem que ter o seu preço.  Em taxas de juro invulgarmente elevadas, o aforrador deve forçosamente questionar-se se as mesmas se justificam em relação ao mercado. Se os juros estiverem de facto acima da média, temos que perguntar-nos porquê o banco pratica tal condição política. Estará subjacente ao empréstimo ou também aos investimentos de alto risco; a condição política no âmbito da estratégia do banco é um instrumento de marketing, ou os produtos beneficiaram de subsídios cruzados através de outros serviços e produtos (acções, fundos, seguros, etc).

Acções

Exemplo 1:
O Triodos Bank foi fundado em 1980 na Holanda, e descreve-se como o principal banco sustentável da Europa. Para além da Holanda, tem também filiais em Espanha, Reino Unido, Bélgica e Alemanha. No final do ano 2013, o seu balanço total era de 6,4 mil milhões de euros. O banco financia apenas com os depósitos dos seus clientes, projectos e empresas com acrescentado valor social, ecológico ou cultural. Quanto à sua actividade bancária, o Triodos Bank gere fundos na ordem dos 2,75 mil milhões de euros, que são investidos tendo em conta os critérios de sustentabilidade. Em finais de 2013, o banco era propriedade de 31.304 accionistas, que colocavam capital próprio à disposição do banco de acordo com os direitos relacionados com as acções. Trata-se aqui de acções nominativas que não são negociadas através da bolsa, mas através de um negócio intra-bancário do próprio Triodos Bank. Em Abril, o preço actual das acções era de €78, enquanto em 2009 estava ainda nos €72. Desde 2009 o dividendo constante é de 1,95€.

 

Exemplo 2:
A EDP Energias Renováveis é um grupo empresarial de actuação internacional no ramo das energias renováveis, com especial foco na energia eólica. A sociedade dispõe de uma capacidade de energia instalada de oito GW, bem como gera anualmente mais de 18.000 GWh de energia. Os geradores eólicos encontram-se na Europa, América do Norte e Brasil. A EDP Renováveis é uma filial do Grupo EDP-Energias de Portugal e tem a sua sede em Oviedo, Espanha. O preço actual de cada acção é de €4,92 (EDP Renováveis, SA [WKN: A0Q249 / ISIN: ES0127797019]

About the author

Marcus Pfingsten (37), Casado, pai de uma filha, formado em Administração de empresas (FH), é desde 2008 gestor de activos do banco cooperativo GLS Bank, que pertence à associação mundial Global Alliance for Banking Values (www.gabv.org). Ele enriquece o guia para o Investimento do ECO123
com informações sobre investimentos sustentáveis: para energias renováveis, agricultura ecológica, vida saudável, etc, e acções verdes e sociedades de investimentos.

 

Check Also

estufa fish n greens

A piscicultura vai à horta

Uma estreia em Portugal: trata-se de um ciclo fechado de água e nutrientes; de produção …

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.