Segunda-feira, Abril 6, 2020
pt-ptende
Inicio | Destaque

Destaque

Kyoto – 2ª Temporada – Início em 1.5.2020

Procuramos: Os primeiros 100 heróis em defesa do clima Jogas o KYOTO como na vida real. Pesquisas online as tuas emissões de CO2 do consumo, da mobilidade, da casa, etc. Começas o jogo com um saldo de 3.000 kyotos. Será que te chegam para um ano? Só terás que investir dez minutos, uma vez por semana. Ganhas o jogo, se conseguires emitir o mínimo possível de CO2. És assinante da ECO123? Se sim, tens acesso ao jogo gratuitamente. Participa! Clique aqui para ver o formulário.  

Leia mais »

Introdução – Podíamos ser heróis, só por um ano…

A proteção do clima é uma questão de formação, conhecimento e atitude consequente A nossa história começa pela informação de como se pode, concretamente e consequentemente, abandonar as energias do carvão, do gás e do petróleo, para passar de forma prática para a energias renováveis obtidas através do sol, vento ou água. Apresente soluções em vez de provocar o pânico! Trata-se também, concretamente, de usar menos recursos e reutilizar os recursos aplicados. Em 2011, antes até do lançamento da primeira revista ECO123, investimos em duas centrais fotovoltaicas de 40 painéis. Sigam o nosso exemplo! Com esse investimento, iniciámos a produção …

Leia mais »

Faça você mesmo e evite o lixo

Champô feito em casa Hoje vamos falar de champôs para o cabelo. Uma alternativa vegana, sem químicos ou plásticos. Não consigo imaginar quantas garrafas de plástico de champô já gastei na minha vida. Quer a garrafa tenha 250 ml ou 1000 ml, a maré do plástico parece não ter fim. Também há sabonete especial para o cabelo, mas nem sempre é fácil de encontrar, e sabe-se lá de que distância teve de ser importado, ou seja, quanto CO2 provocou, sem contar com o meu trajeto para o ir comprar à loja… e a lista interminável dos ingredientes faz-me questionar se …

Leia mais »

Rápido

izzy’s market, vila do bispo Quem estiver a caminho do Cabo de São Vicente deve aproveitar para visitar o IZZY’S MARKET de Vila do Bispo. Este restaurante está um pouco escondido, numa urbanização entre a câmara municipal e um supermercado daquela empresa de logotipo azul e amarelo. E também nem sempre é fácil encontrar um estacionamento em Senhora do Amparo. Trata-se de um pequeno café que também tem uma loja de produtos biológicos. Recomendamos especialmente os pratos do dia ao almoço. Estava cheio quando lá fomos. Izzy, a cozinheira, de quando em vez espreita pelo passa pratos para sentir o …

Leia mais »

Theodor W. Adorno: Não há nada de certo no errado

Desde há algumas décadas que o turismo tem vindo a ganhar uma dimensão cada vez maior na sociedade e com um impacto associado nas regiões turísticas mais visitadas. Inicialmente devido à melhoria das condições laborais e sociais, atualmente pela facilidade de acessibilidade e mobilidade. Será que o turismo pode ser sustentável ou contribuir para a sustentabilidade? João Fernandes, presidente da Região de Turismo do Algarve (RTA), instituição que celebra o 50º aniversário em 2020, acredita que sim e justifica porquê. Mas será que ainda vamos a tempo? O rápido crescimento da procura turística está a superar as tecnologias da descarbonização. …

Leia mais »

Ainda estão vivas algumas pérolas do colar

Algarve: É fotógrafo, preza o tempo e sente o Algarve como uma filigrana. Chama-se Filipe da Palma. O que o move, confessa, é sair para fotografar… e sentir. “Isso é alimentar o lado mais profundo que há em mim, é o que me mantem são.” Fá-lo porque sente uma necessidade de partilhar o belo, mas também o feio, algo entre a identidade e o real: “gosto de mostrar também esse Algarve em ferida, as cicatrizes e pequenos tumores espalhados ao longo do território.” Com um olhar muito lúcido sobre a riqueza patrimonial e cultural da região, Filipe da Palma guarda …

Leia mais »

Podíamos ser heróis, só por um ano…

A humanidade enfrenta uma das suas maiores crises. A origem encontra-se numa pequena molécula: o dióxido de carbono. Trata-se de um gás que não tem muita concentração na atmosfera, mas cujo efeito é enorme. Através dele estamos a provocar o aquecimento do nosso planeta, porque estamos permanentemente a queimar gasolina, diesel, carvão, gás e outros combustíveis fósseis, emitindo CO2, muito CO2, toneladas a mais. A ECO123 escreve hoje sobre a crise climática, uma crise que consideramos ser o maior dos desafios e que exige uma solução e ação. Como podemos consegui-lo?   Não vale a pena estar com rodeios: dos …

Leia mais »

Reserva natural destruída por plantação de abacate

Clive Viney é coautor (com Ray Tipper) do livro “Algarve Wildlife the natural year”. Sendo amante da Natureza e residente em Tavira há anos, está muito preocupado com a erosão e a destruição que tem observado na reserva natural junto a Castro Marim. Parte da reserva foi transformada numa plantação de abacate, “a plantação da moda”. Clive Niney pediu explicações ao ICNF, à SPEA e a outras entidades. As suas ações fizeram com que a Direção Geral do Ambiente da Comissão Europeia se interessasse e investigasse se a plantação de inúmeros abacateiros na reserva violou alguma diretiva europeia. Ele questiona-se, …

Leia mais »

Salgados

A pessoas são de memória curta. Mal notam alterações lentas, até porque estão sempre a mudar de lugar, sem observar um local regularmente com atenção. O reconhecimento do valor da Natureza sofre com esse défice da consciência humana. As pessoas vivem cada vez mais em meio urbano, em permanente desassossego, um espaço e um tempo que eclipsa a Natureza. Na segurança enganadora da cidade, a Natureza é usada meramente para fins decorativos. Uma árvore aqui e uma avenida acolá, locais de paz e refúgio aparentes como o Central Park em Nova Iorque e o Jardim Botânico em Lisboa. O que …

Leia mais »

Como podemos impedir os incêndios florestais

Nasci em Goa, na Índia – Domingos Xavier Viegas abre conversa com a ECO123 no jardim da editora. Sou um cidadão português e cheguei com os meus pais e três irmãs a Portugal em 1957. Os meus pais queriam dar-nos uma educação superior e entenderam que tal não seria fácil se ficássemos em Goa. O meu pai era funcionário público, e pressentia que a Índia queria anexar Goa, por isso decidiu vir para Portugal. Saímos de Goa em 1957 e em 1961 esta foi tomada pela União Indiana. Depois disso, voltei algumas vezes a Goa e mantemos contacto com familiares, …

Leia mais »