Home | Short Stories | Uma breve história do greenwashing

Uma breve história do greenwashing

Sábado, dia 11 de maio de 2024.

Publicidade

A história do papel tem acompanhado o desenvolvimento da humanidade ao longo dos séculos: desde a transmissão de novos conhecimentos científicos e filosóficos até à difusão da educação e à tomada de consciência política e histórica através da invenção da imprensa.

Na ECO123 também imprimimos em papel e utilizamos sempre papel reciclado, ou seja, papel que já foi utilizado e anteriormente impresso. (o novo número 34 da ECO123 será publicado em breve) Normalmente, estes resíduos são cuidadosamente selecionados e triturados, depois lavados e transformados numa pasta de celulose, antes de serem novamente enrolados e secos. É possível ganhar dinheiro com o papel.

Também se pode ganhar bom dinheiro com o papel higiénico. No dia 16 de abril, escrevemos um e-mail à cadeia de lojas de conveniência ALDI, no Montijo, cujo papel higiénico utilizamos há 20 anos. “Sempre comprámos papel reciclado da SOLO ou da RENOVA (2,99 euros). Recentemente, o ALDI deixou de o vender. Em vez disso, vende agora papel higiénico ‚verde‘ da The Navigator Company (3,99 euros), feito a partir de madeira de eucalipto. O ALDI sabe que não pode chamar a isso “sustentável” na etiqueta do produto. Pode comprar o rótulo Forest Stewardship Council® (FSC®). E isto não tem nada a ver com sustentabilidade.

O eucalipto é um material altamente inflamável devido aos seus óleos essenciais. O eucalipto retira muita água do solo. Esta árvore é um tipo de planta invasora. Para plantar esta árvore australiana em Portugal em monocultura, quase 10.000 km² de floresta mista autóctone (sobreiros, entre outras espécies), mais de dez por cento da área total de Portugal (92.000 km²), foi abatida entre 1990 e 2020. E substituída depois por eucaliptos destinados à produção (transformação) de papel da “The Navigator Company” (Semapa). Sabe agora por que motivo há sempre incêndios florestais devastadores em Portugal..“.

A resposta do ALDI entrou no noso computador cinco minutos mais tarde. Recebemos o número 02343040 e mais dois e-mails automáticos até à data limite desta publicação. O ALDI esquiva-se a uma resposta clara. Decidimos não aguardar mais por uma resposta e, no futuro, comprar o nosso papel higiénico à concorrência, reciclado e, claro, não proveniente de greenwashing. Prestamos atenção aos produtos que compramos. E lemos as letras pequenas. Evitamos as emissões de CO2.

This slideshow requires JavaScript.

Uwe Heitkamp (64)

jornalista de televisão formado, autor de livros e botânico por hobby, pai de dois filhos adultos, conhece Portugal há 30 anos, fundador da ECO123.
Traduções: Dina Adão, John Elliot, Patrícia Lara
Photos:Uwe Heitkamp

Check Also

“Este é um trabalho de todos”
Continuação da semana passada

Sábado, dia  22 de junho de 2024. Continuação da entrevista da semana passada: Eco123: Existem …