Sábado, Outubro 21, 2017
pt-ptende
Inicio | Ecologia | Mobilidade 100% Portuguesa
Veeco

Mobilidade 100% Portuguesa

Dezembro de 2012. Escrevemos para o departamento de imprensa da Tesla, na Califórnia, e inquirimos sobre um test drive. A resposta vem de Milão, de Roberto Toro, o Gestor de Comunicação da Tesla Europe. Pede-nos um pouco de paciência, e propõe a próxima Primavera. Explicou que tinham mais encomendas do que a fábrica de automóveis nos EUA conseguia produzir naquele momento. Em Abril, escrevemos uma segunda vez a Roberto. Ainda não estavam a ser enviados carros eléctricos do modelo S (Sedan) através do grande lago para a Europa, respondeu. Havia muitos clientes que esperavam há meses pelos veículos que haviam encomendado, e pelos quais pago um depósito. Roberto adiou para Agosto. A 8 de Agosto, quinta-feira, é o dia. Os primeiros 500 veículos da Tesla S são entregues na Europa. Ao longo de oito meses, o valor das acções da Tesla quintuplicou.

Ao mesmo tempo, tentámos marcar test drives de outros carros eléctricos. Em França também já há produção massificada do MIA em Cerizay, perto de Tours (www.mia-electric.com). Mas também por cá, no Entroncamento, a partir de Outubro de 2013, os primeiros carros eléctricos, produzidos em pequenas séries, começarão a rolar para fora da fábrica – o Veeco RT (www.veeco.pt). A era dos carros eléctricos começa com as primeiras informações que criam uma procura ainda pequena, mas em crescimento.

João Gonçalves deu uma vista de olhos atenta ao Veeco e ao Tesla S P85. Encontrou Roberto Toro na filial de Milão do construtor automóvel Tesla.

 

Veeco-RTVEECO -RT é o nome do primeiro carro eléctrico feito totalmente em Portugal. Resulta do trabalho desenvolvido por um consórcio entre a VE – Fabricação de Veículos de Tracção Eléctrica, Lda. e o ISEL (1), com recurso a uma candidatura ao QREN (2) e utilizando a plataforma de contactos do Selo Eureka (3).

Iniciado o projecto em 2005, e recebendo o apoio do QREN em 2009, este projecto teve um investimento de 1.7 milhões de euros a três anos. Este implicou o desenvolvimento de dois protótipos de veículo mas também a criação da fábrica da VE no Entroncamento. Além da colaboração de 12 engenheiros nacionais e internacionais por parte do ISEL, este projecto permitiu ainda a criação de 7 postos de trabalho efectivos. A apresentação do projecto decorreu em Fevereiro de 2012, no casino de Lisboa. Este é um exemplo de sucesso em que a junção de várias entidades permitiu criar um carro 100% made in Portugal.

18 meses após a apresentação, a ECO123 pretende conhecer melhor este projecto e descobrir se este é um sucesso. Como tal, entrevistou o Dr. José Quadrado (presidente do ISEL), João de Oliveira (criador e mentor do projecto) e Pedro Almeida (responsável pela comunicação da VE).

(1) Instituto Superior de Engenharia de Lisboa
(2) Quadro de Referência Estratégica Nacional
(3) http://eureka.adi.pt/ | http://www.eurekanetwork.org/

Entrevista com  Dr. José Quadrado, João de Oliveira e Pedro Almeida:

ECO123: Qual é a história do VEECO?

José Quadrado (J.Q.): O VEECO surge em duas vertentes, primeiro na académica, onde desde o final da década de oitenta estudamos o conceito e as várias técnicas necessárias à concepção de um veículo eléctrico. E em segundo lugar pela paixão do empresário João de Oliveira em produzir um veiculo totalmente eléctrico e feito totalmente em Portugal. Ao aceitar este desafio destas duas visões tivemos que repensar como seria um carro eléctrico e tudo ficou em questão. Desde o formato, o número de rodas e a posição do condutor até ao mais pequeno detalhe dos sistemas informáticos e electrónicos. Mas tivemos que perceber que construir um carro não é só isso – muitas universidades já o tinham feito mas falharam como projectos porque não conseguem dar continuidade. O nosso projecto não era construir um carro mas construir uma fábrica que fosse viável para a construção de veículos eléctricos.

Porquê 3 rodas?

João de Oliveira (J.O.): O modelo de 3 rodas surgiu logo na fase inicial do projecto pois precisavamos de um veiculo mais eficiente em termos de aerodinâmica, atrito de rolamento, mecânica de transmissão e peso. Por isso a solução de 3 rodas mostrou-se a mais eficaz a todos os níveis e ofereceu a possibilidade de uma maior autonomia e performance.

Com uma proposta de duas baterias e uma autonomia máxima de 400km, qual é o consumo para 100km e qual é a poupança efectiva?

J.O. – Vamos ter duas versões, uma com autonomia de 230km com metade do banco de baterias e outra com o banco de baterias completo que representa uma autonomia de 400km. Sendo a versão de menor autonomia suficiente para o dia-a-dia dentro da cidade.

Pedro Almeida (P.A.) – O nosso público-alvo é sempre uma pessoa que usa este carro como segundo carro, apenas para pequenas distâncias.

J.O. – A poupança é substancial, não só na energia que se gasta para percorrer 100km mas também toda a manutenção e assistência que o carro não necessita. Carregado no período da tarifa bi-horária conseguimos o gasto de 1€ por 100km.

Quando teremos a primeira unidade vendida e quanto custará?

P.A. – Estamos agora no processo de homologação, que irá até ao final deste ano. Contamos entregar o primeiro carro no início de 2014.

J.O. – O preço do veículo depende directamente das unidades vendidas, mas terá um valor base entre 25.000€ e 30.000€.

É por estarmos em Portugal que este projecto demorou 4 anos?

J.O. – A duração do projecto está directamente ligada com o investimento. Com mais poderíamos ter mais colaboradores e levar menos tempo.

P.A. – Um grande fabricante leva em média 5 anos até preparar um novo modelo cuja base já está afinada e nós aqui partimos do 0 desenvolvendo a maior parte dos componentes. Daí os 4 anos não serem demasiado, seja em Portugal ou na Itália. É natural que para quem viu a apresentação do projecto há mais de um ano lhe pareça demasiado tempo mas são tempos normais para este nível de investimentos tipo de projecto.

Especificações:
Motor – Assíncrono
Binário – 450 Nm
Potência – 30 KW nominal e 80 KW de pico
Velocidade máxima – 170Km/h
Aceleração – 8 segundos
Inverter – Trifásico
Transmissão – Correia de sincrono de carbono
Suspensão – independente às três rodas
Travões – Discos frente e trás
Baterias – Life PO4 de 16 Kwh a 48 KWh
Autonomia – Standard 200km, Opcional 400Km
Carregador – Monofásico2,6 KW
Rodas – Frente 205/45 R16; traseira 285/30 R18
Peso – 800Kg
Dimensões – Largura 1,80m; comprimento 3,56m e altura 1,23
Interface – Táctil com GPS, Web e Multimédia

Para mais informações: http://www.veeco.pt/

 

About the author

João Gonçalves (31) Natural da Serpa. Licenciatura em Marketing, Comunicação Empresarial, Produção Audiovisual na Universidade do Algarve, em Faro. Trabalha actualmente como realizador, operador de câmara e editor. Vive em Faro.

Check Also

Vivemos o sonho americano atrasado

Vivemos o sonho americano atrasado

Numa altura em que as diretivas caminham cada vez mais para as energias amigas do …

Deixar uma resposta