Home | Short Stories | Nº 71 – Pizza-To-Go…

Nº 71 – Pizza-To-Go…

Sábado, 23 de Janeiro de 2021

Ao sairmos de Vila do Bispo em direção a Norte chegamos a Pedralva e ao restaurante Pizza Pazza. Infelizmente está fechado. Mas estava-me mesmo a apetecer uma piza crocante acabada de fazer. Portanto, continuo pela EN120 que passa pela Carrapateira e ruma a Norte, junto ao Atlântico, acabando por chegar ao concelho de Aljezur. Na localidade de Alfambras existe um restaurante (o Trigo Vermelho), que tem no seu menu pizas sem glúten e pizas vegan. Recentemente, comi uma piza vegetariana muito boa no local. Recomendo ainda a piza Margherita, com um custo de apenas 7,70 euros.

Devido à pandemia, o proprietário teve que fazer alterações em relação ao horário, abrindo portas de segunda a sexta, das 12 às 14h e das 16 às 20h (tel.: 282 973 908).

Quando me desloco como jornalista, costumo visitar restaurantes à hora de almoço, mas, hoje, o Trigo Vermelho está fechado. E também o Bistrot Gulli, que fica a poucos quilómetros, mais a norte, se encontra encerrado. Essa poderia ser outra hipótese, mas há restaurantes que estão abertos o ano todo e outros que só abrem durante a época turística. Foi aí que tive uma ideia. Que tal ir ao Rogil? Aqui, na Pizza VIP, já cheguei a ir buscar piza algumas vezes. Esta pequena pizaria é essencialmente um takeaway e, por isso, tem funcionado muito bem durante os tempos de confinamento. Podemos optar por comer em casa, no carro, ou em qualquer outro local com uma paisagem agradável. É um tipo de comida muito prática para vegetarianos nestes tempos de pandemia. A VIP está aberta das 12 às 15h e das 18 às 22h e faz entregas num raio de 15 km, com o custo de deslocação incluído no valor da piza!!!

Este pequeno takeaway na EN120, em frente à única bomba de gasolina do Rogil, é gerido pela D. Piera Canal e a sua filha, Christina Almeida. A possibilidade de escolher a farinha de com a qual é feita a massa é um aspeto interessante. Trigo, centeio, espelta, alfarroba e uma mistura de todas elas são as opções, capazes de proporcionar ao apreciador de piza novos e surpreendentes sabores, já que todas as pizas são diferentes. E a qualidade de uma piza depende muito dos seus ingredientes.

Comprámos dois desses “pães redondos”, a piza mais barata e a mais cara, para levar: Margherita e VIP, por 6,50 € e 15 €, respetivamente. A embalagem de cartão é amiga do ambiente. Quem gostar de piza tem um cardápio de quatro páginas A4 por onde escolher. Adoro a opção vegetariana com molho de trufas e cogumelos, nozes e rúcula. É imbatível. Até o meu cão Max se põe em duas patas quando a cheira.

Conheço o Vítor Almeida (que confeciona a massa) e a sua família de pizzaiolos há muitos anos, e a excelente qualidade é uma constante. Mantém-se desde o início da atividade em Portimão, no início do milénio, e está disponível desde há uns anos também em Aljezur. São profissionais. Mas há sempre algumas coisas a melhorar. Eu simplesmente não bebo café em copos de cartão ou de plástico e quero ter uma colher normal para mexer o café, e não um bocado de plástico para deitar fora. A pandemia (ainda) não mudou os nossos hábitos, não só à mesa. Não investimos tempo numa boa refeição e comemos cada vez menos com talher. Semelhantes a animais, comemos com os dedos. Recomendo este pequeno takeaway Pizza VIP a quem passar por Aljezur e quiser, tal como eu, comer uma piza. Piera e Cristina irão servi-lo bem. Da minha parte, recebem 10 de 15 pontos.

  1. Localização do restaurante: zero pontos;
  2. Arquitetura e design: zero pontos;
  3. Conforto (falta de acessibilidade a cadeiras de rodas): zero pontos;
  4. Asseio (cozinha aberta, sala, não tem sanitários para os clientes): um ponto;
  5. Cardápio (variação diária, diversidade, pratos confecionados na altura): um ponto;
  6. Confeção e atendimento (Staff: formação, profissionalismo, simpatia, continuidade, vários idiomas): um ponto;
  7. Ingredientes (produtos alimentares: onde e como são produzidos, ingredientes, distâncias de transporte curtas, gestão dos resíduos, saudável): zero pontos;
  8. Criatividade, originalidade e tradição dos pratos, (tem pão próprio): um ponto;
  9. Transparência (cozinha à vista): um ponto;
  10. Organização (tem menus com pizzas, diferentes tapas, etc.): um ponto;
  11. Sabor (é realmente apetitoso): um ponto;
  12. Bebidas (não tem criações próprias de refrigerantes, águas e chás em lata): zero pontos;
  13.  Preço (em relação à qualidade, ao rendimento e à precessão pessoal): um ponto;
  14.  Gostava de voltar? Sim.: um ponto;
  15.  Um ponto especial. Sim, porque a décima terceira piza é oferta.

PIZZA VIP, Loja do Rogil, Av. 16 de Junho, 66 – 8670-440 Rogil – Tel.: 282 994 264 (fechado às segundas-feiras).

 

Uwe Heitkamp (60)

jornalista de televisão formado, autor de livros e botânico por hobby, pai de dois filhos adultos, conhece Portugal há 30 anos, fundador da ECO123.
Traduções: Dina Adão, Tim Coombs, João Medronho

Fotos: Uwe Heitkamp

 

Check Also

Nº 75 – Uma tachada com muitas coisas boas do seu jardim.
(Sopa da pedra da própria horta)

Sábado, 20 de Fevereiro de 2021 A nossa meta é a autonomia alimentar. Para lá …

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.