Home | Short Stories | Nº 145 – O longo caminho…

Nº 145 – O longo caminho…

Sábado, dia 18 de março de 2023.

Laura Rodrigues é a presidente da Câmara de Torres Vedras, uma cidade com pouco menos de 80.000 habitantes, no centro oeste de Portugal, pertencente à Estremadura. Torres Vedras fica a norte de Lisboa, a cerca de 60 km. Laura Rodrigues e os seus vereadores (conselheiros municipais) planeiam tornar a sua cidade neutra em termos climáticos, até 2050. Como vai isso ser possível?

Para atingir esse objetivo, foi elaborado o Plano de Ação para a Energia Sustentável e Recursos Climáticos, denominado PAESC Torres Vedras 2050, que foi apresentado  na quarta-feira passada, dia 1 de Março, ao final da tarde, no auditório do “Edifício dos Paços do Concelho de Torres Vedras” (na Câmara Municipal).

Neste encontro, no qual participaram muitos cidadãos interessados, a vereadora do Ambiente e Sustentabilidade, Dulcineia Ramos, aproveitou a oportunidade para recordar o longo caminho que o Município já percorreu no campo da sustentabilidade e da proteção climática. O primeiro passo foi a elaboração do Plano Municipal do Ambiente, há cerca de 20 anos, seguindo-se a adesão ao Pacto de Autarcas em 2010, a adoção do Plano de Ação para a Sustentabilidade Energética de Torres Vedras em 2013 e a formulação da Estratégia Municipal de Adaptação às Alterações Climáticas em 2016. Como resultado deste percurso, no âmbito do qual já foram implementadas 45 medidas para reduzir os gases com efeito de estufa, o concelho de Torres Vedras (400 km²) conseguiu uma redução nas emissões de CO2 de cerca de 29% em relação a 2009, a par de uma redução significativa no consumo de eletricidade (21%), segundo a vereadora.

Seguiu-se a apresentação do “PAESC Torres Vedras 2050” por Elsa Nunes e Inês Silva, do IrRADIARE, a empresa que elaborou o plano. Neste contexto, foi explicado que o “PAESC Torres Vedras 2050” inclui quatro objetivos estratégicos para reduzir as emissões (descarbonização, eficiência energética, transição energética e reforço de capacidades, da educação e da sensibilização), dos quais derivam 25 ações para a sustentabilidade energética que se desenvolvem em 83 projetos. Com a implementação deste plano espera-se que, numa fase posterior, até 2030, Torres Vedras possa atingir uma redução de 41% no consumo de energia e uma redução de 56% nas emissões de CO2, em relação a 2009. A neutralidade carbónica deverá então ser atingida até 2050, reduzindo o consumo de energia em 72% em relação a 2009. Conseguirão?

 

Ninguém fica para trás.

A fim de assegurar a implementação completa, eficaz e eficiente do plano acima mencionado, foi estabelecido um modelo de gestão que prevê a criação de uma equipa composta por três órgãos: a Comissão de Gestão do Processo (composta por membros da Câmara Municipal de Torres Vedras), a Comissão de Implementação (composta por técnicos da Câmara Municipal de Torres Vedras) e a Comissão de Monitorização (composta por atores locais em posições-chave e por todos os membros da Câmara Municipal de Torres Vedras para a Ação Climática).

No final da apresentação do Plano PAESC de Torres Vedras 2050, a presidente da câmara, Laura Rodrigues, tomou novamente a palavra e manifestou a sua convicção de que o município será neutro do ponto de vista climático até 2050. Segundo Laura Rodrigues, a mudança de comportamento, especialmente na área da mobilidade, é também fundamental para alcançar os objetivos do plano apresentado, porque a mobilidade é a principal fonte de emissões de CO2.

Vale a pena mencionar também que a participação pública no PAESC Torres Vedras 2050 é possível no website da Câmara Municipal de Torres Vedras. Na próxima edição da ECO123, serão apresentados os planos da cidade de Guimarães – com uma população de cerca de 152.000 habitantes – cujo centro histórico se tornou Património da UNESCO em 2001. É o único município português, dos 53 na Europa, a ser incluído no Programa de Cação Climática da UE. É empolgante.

 

Tem a sua própria história de sucesso em matéria de clima e gostaria de a contar? Escreva para theobald.tiger8550@gmail.com

Uwe Heitkamp (62)

jornalista de televisão formado, autor de livros e botânico por hobby, pai de dois filhos adultos, conhece Portugal há 30 anos, fundador da ECO123.
Traduções: Dina Adão, John Elliot, Ruth Correia, Patrícia Lara, Kathleen Becker
Photos:Câmara Municipal de Torres Vedras, dpa

 

Check Also

Novo Diretor Executivo

Sábado, dia 8 de junho de 2024. A Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves …