Home | Portugal | Vida (page 2)

Vida

Nº 143 – Transformar merda em ouro, não dá!

Sábado, dia 18 de fevereiro de 2023. Nestlé, Unilever, Procter & Gamble. É esta a ordem da poluição, por plástico, no nosso mundo. Sabe o que acontece ao plástico que eu e você colocamos na reciclagem de resíduos no ECO-Ponto? Sim? Não? A peça “Alice no País do Lixo” vai ser levada a palco, em breve, pelo grupo de teatro AORCA, em Lagos, e aborda, através da dança-teatro, o tema da reciclagem de resíduos. Fui assistir ao ensaio geral, na terça-feira passada, pois sem ensaio geral não há recensão crítica. Por isso, fiz-me convidado, mas fiquei com a sensação de …

Read More »

Pare de falar. Comece a plantar.

A plantação de árvores é a medida mais eficaz contra o sobreaquecimento da Terra. Talvez dentro de alguns anos a humanidade chegue à conclusão de que a sua salvação reside na reflorestação, ou seja: plantar árvores pelas suas vidas e ressuscitar paisagens sempre que possível… Isto é o que Jochen Schilk, de 48 anos, escreve no seu livro Die Wiederbegrünung der Welt “50 ansteckende Geschichten vom Bäume pflanzen” (O Reverdecimento do Mundo – 50 histórias contagiosas de plantação de árvores). Raramente me foi entregue um livro de uma forma tão pouco convencional. Uma sexta-feira de manhã, abri a minha caixa …

Read More »

Educação no espírito do exército prussiano
O modo como a pessoa aprende é o modo como a pessoa ensina.

O modo como a pessoa aprende é o modo como a pessoa ensina.

José Francisco de Almeida Pacheco nasceu no Porto, a 10 de maio de 1951. É educador, antropólogo e pedagogo. A ECO123 esteve à conversa com este grande dinamizador da gestão democrática na educação e indagou-o acerca do valor que a Natureza tem na educação em Portugal.   Considera que, hoje em dia, quando Jane Goodall (a embaixadora da ONU) refere que o Homem, ou seja, a criatura mais inteligente do mundo, está a destruir o seu planeta, ainda faz sentido educar crianças? Essa era uma pergunta que eu fazia há cinquenta e cinco anos, em 1968. Vivia num país que …

Read More »

Regressa ao campo e vive uma vida simples

Lesley Martin tem 76 anos de idade, e ainda ensina e pratica permacultura. O seu pai trabalhou na Royal Air Force, e, por isso, em criança, mudou frequentemente de residência, o que torna difícil definir as suas origens: “Nasci no País de Gales, mas não tenho muitas ligações a essa região. Estudei Arquitetura na universidade, porém, o que mais ambicionava ser era agricultora…”. Quatro anos volvidos, apercebeu-se definitivamente que não pretendia ser arquiteta e deixou os estudos. Apesar de o seu pai ter ficado muito aborrecido com essa decisão, alguns anos passados, acabou por dar-lhe o dinheiro para comprar a …

Read More »

Nº 139 -Vamos a Portugal de comboio?

Sábado, dia 17 de dezembro de 2022. Recentemente, li na ECO123 que a vila de Monchique “se encontra em vias de extinção”. Havia, também, uma oferta de emprego na revista. Portanto, foi por acaso que me pus a caminho e deixei a cidade de Leipzig para partir para Monchique, que fica na serra com o mesmo nome. Queria aquele emprego. Esta é a minha história.   Viajar é suposto ser algo divertido, seguro, rápido e em conta. Os voos low-cost foram durante muitos anos a forma de realizar esse desejo. Agora, os voos subiram de preço. Para além disso, entretanto, …

Read More »

Nº 136 – 200 plantas da costa sudoeste de Portugal.

Sábado, dia 15 de outubro de 2022. Hoje, pretendo apresentar aqui um livro bilingue, editado em português e inglês, que ainda considero atual e recomendável. Esta obra, que destaca 200 plantas da costa sudoeste de Portugal, eternizou as suas autoras. Trata-se de um livro de 256 páginas imprescindível para quem valoriza uma vida sustentável. Tal como muitas das coisas boas que surgem em Portugal, é fruto de iniciativa própria, tendo sido iniciado como produção caseira. Esta é uma edição particular que até já chegou a ser reimpressa. É um bom sinal, e esperamos que o sucesso continue. O Ministério da …

Read More »

Faça você mesmo e evite o lixo

Champô feito em casa Hoje vamos falar de champôs para o cabelo. Uma alternativa vegana, sem químicos ou plásticos. Não consigo imaginar quantas garrafas de plástico de champô já gastei na minha vida. Quer a garrafa tenha 250 ml ou 1000 ml, a maré do plástico parece não ter fim. Também há sabonete especial para o cabelo, mas nem sempre é fácil de encontrar, e sabe-se lá de que distância teve de ser importado, ou seja, quanto CO2 provocou, sem contar com o meu trajeto para o ir comprar à loja… e a lista interminável dos ingredientes faz-me questionar se …

Read More »

DIA 6
Salir – Cortelha – Barranco do Velho

DIA 6
Salir – Cortelha – Barranco do Velho

Concluí os primeiros cem quilómetros. Estou a aguentar melhor do que pensava, apesar de ter partido sem qualquer treino para a caminhada. Conhecer bem o caminho e o meu passo lento são vantagens que compensam a falta de treino e, assim, vou ficando cada vez mais em forma. O percurso completo da Via Algarviana tem cerca de 300 quilómetros. O primeiro troço, do lado Este, vai de Alcoutim até Barranco do Velho; o do meio, de Barranco do Velho até Monchique; e o troço do lado Oeste, liga Monchique ao Cabo de São Vicente. Arrumo a minha mochila, pego no …

Read More »

DIA 5
De Alte a Salir. Poços antigos com nora

DIA 5
De Alte a Salir. Poços antigos com nora

19 km. Cheguei ao centro do Algarve. Caminhar também significa entrar em contacto direto com as pessoas e com o seu meio. É isso que um jornalista pretende. Conhecer as pessoas de um país. O que pensam e como se sentem. Logo ao início do quinto dia, ainda em Alte, chego à Ribeira de Alte, que está completamente seca. Antigamente, havia peixes e muitos outros seres vivos nesta ribeira. Era um biótopo cheio de vida onde agora só vejo uma senhora idosa, de 72 anos, a juntar um pouco de mato. Às sextas-feiras vem o vendedor de peixe da costa …

Read More »

DIA 4
De Messines a Alte

DIA 4
De Messines a Alte

Tomo o pequeno-almoço no café ao lado. Custa 2 euros e 40 cêntimos. São oito horas quando entrego a chave na receção e vou ter com o senhor Jorge. Um galão e uma sandes de queijo, por favor. Bom dia! Dois minutos depois o pedido surge no balcão e tomo o meu pequeno-almoço na esplanada. Messines já despertou para a vida e eu estudo no mapa o caminho a seguir. Pretendo passar por Vale Vinagre, iniciando assim a pequena subida. Primeiro, fora da cidade, passo por debaixo da autoestrada que liga o Algarve ao centro do país. São muitos os …

Read More »