Sexta-feira, Agosto 18, 2017
pt-ptende
Inicio | Portugal | Reportagem (page 2)

Reportagem

Zero emissão

Os veículos elétricos oferecem uma experiência de condução superior. Com uma aceleração rápida e suave, um ambiente ultra silencioso e menor emissão de gases poluentes, a sua utilização torna-se inevitável. O programa Mobi.E, iniciado em 2010, promoveu o uso de carros elétricos, constatando-se um aumento, segundo a ACAP, no início de 2016, de 2149 veículos com tendência a crescer. A rede MOBI.E conta com 1300 pontos de carregamento normal e 50 pontos de carregamento rápido em espaços de acesso público, em Portugal Continental.     Eu conduzo … um VEECO RT João Oliveira, com 63 anos, trabalha na área da informática …

Leia mais »

Portugal cresce no mercado de produção de bicicletas

Há momentos que nos ficam marcados a ferro e fogo na nossa memória e desses momentos é sem dúvida a primeira bicicleta. Era em tons azulados, pintalgada com os cromos da bola da altura, era semi-nova com marcas acidentais das aventuras dos meus primos. Afinal como esquecer a primeira bicicleta, companheira das aventuras radicais a alta velocidade? A bicicleta é atualmente considerada o meio de transporte mais utilizado no mundo. Portugal é já considerado o terceiro maior produtor de bicicletas na Europa. Este meio de transporte não emite gases poluentes nem com efeito de estufa, a bicicleta é considerada um …

Leia mais »

Neto procura-se

idosas de saboia

As comunidades rurais do Alentejo, todos os seus biótopos humanos do zelo, troca e responsabilidade mútua, a hospitalidade, as memórias coletivas e o estar juntos ainda não deram o último suspiro. Os consumidores querem saber quem produz os seus alimentos. Os jovens sentem a falta da compreensão dos avós. Nos bairros citadinos e nas aldeias, os habitantes querem organizar-se entre si. Casais e jovens famílias precisam de ter ao seu redor pessoas com quem falar, de um apoio real, de uma comunidade. Mas talvez sejam mesmo os mais velhos a poder ajudar. Uma incursão pelas aldeias alentejanas adentro e a …

Leia mais »

Freixo do Meio: Montado é mais

Níveis de Sommerkahle, até onde os olhos conseguem ver. Nada de água, nada de sombra. Muito raramente apenas uma árvore solitária. De resto: o vazio. As agências de turismo estrangeiras tentam despertar o interesse dos turistas pelo Alentejo com estes ícones paisagísticos. Mas viver e trabalhar numa paisagem tão austera é difícil. Quintas em ruínas por todo o distrito são o testemunho do abandono maciço da agricultura. Talvez a natureza alentejana esteja, sim, a sonhar um outro sonho. Um sonho de uma cobertura florestal mais solta e diversificada, ribeiros, lagos e uma variedade de plantas e animais, de abundância e …

Leia mais »

Sal, um tesouro redescoberto

Salina

Desde os tempos mais antigos que o sal tem um papel fundamental na vida do ser humano. Utilizado primariamente como fonte de conservação de alimentos, este ganhou uma importância vital durante o Império Romano, inclusive dando origem à palavra salário. Isto porque era prática corrente em Roma que os funcionários do império, como os legionários, recebessem o seu soldo (ou salário) em sal, como pagamento pelos serviços prestados. As zonas de exploração de sal ganharam tamanha importância estratégica, que algumas delas foram muralhadas e criadas povoações para defesa deste bem. Data do ano 959 o mais antigo registo conhecido sobre …

Leia mais »

São os pequenos êxitos que contam

Lince iberico

O supostamente último lince ibérico português foi visto, no início dos anos 90 do século passado, na serra de Monchique. Provavelmente foi morto a tiro por caçadores. Mas já muito antes estava em risco de extinção. A população de coelhos selvagens, da qual o lince se alimentava quase exclusivamente, diminuíra por causa de uma doença viral epidémica e através da caça. Lentamente, o lince morreria de fome. Porém, o maior inimigo do lince ibérico continua a ser o homem e o seu brinquedo favorito – o carro. Perante isto, tornámo-nos modestos e comemoramos o aniversário comedidamente. Há exactamente 10 anos, …

Leia mais »

O Caçador de Chaminés

o caçador dos chamínés

A chaminé artesanal é o postal icónico do Algarve. É uma forma de expressão através da qual os algarvios preservam técnicas de trabalho dos seus antepassados. O jogo de aparências que se dá às chaminés e as variadas formas, cores e feitios destas asseguram que aos algarvios seja reconhecido o seu bom gosto e requinte. Quanto mais distintas e vistosas forem as chaminés, melhor. Chaminés em forma de balão ou cone, com uma grelha ou decoradas com uma sequência de telhas, e numa palete muito diversificada de cores atraiem o olhar de qualquer pessoa. O vislumbre do topo das casas …

Leia mais »

Vende-se

Mina de sal em Loule

Loulé. Somos seis amigos que se enfiaram neste elevador em forma de cesto. Ouvimos um curto som de campainha e devagar, a uma velocidade de um metro por segundo, balançamo-nos em profundidade. Cada um leva um capacete de plástico azul. Ao capacete está presa uma lanterna de cabeça que, por sua vez, tem um cabo com um cinto que se prende em torno das ancas. Durante a viagem para baixo penso no que poderia ter motivado as pessoas a escavar um buraco na terra de 260 metros de profundidade há cinquenta anos? Pois o que estamos a fazer agora não …

Leia mais »

Sobre as nuvens, sempre rumo ao sol

Solarimpulse 2

Solar Impulse, a volta ao mundo com energia solar Voar sempre foi um sonho da humanidade, para poder observar o mundo em que vivemos como um pássaro. Mas os inícios foram difíceis, quando os irmãos Wright, no princípio do século XX, puseram no ar o seu primeiro planador, e, mais tarde, o avião a motor. Nessa base, nos últimos 100 anos a aeronáutica tornou-se num dos maiores ramos comerciais com as mais altas emissões de CO2. Hoje, estamos muito provavelmente perante uma nova revolução da aeronáutica – sem CO2. SolarImpulse 1 SolarImpulse é uma companhia suíça que foi fundada no …

Leia mais »

Braga em Transição

Braga em Transição

O grupo ‘Braga em Transição’ surgiu em 2011, a partir do movimento artístico ‘Projéctil’. Segundo Hélder Faria, um dos seus membros, isto aconteceu naturalmente porque “é sempre dentro de um contexto artístico que se despertam consciências.” “A nossa actividade quotidiana é um processo de mudança gradual, mudamos hábitos lentamente. Não nos desligamos radicalmente do sistema e estamos atentos ao que nos rodeia.” Acreditam que devem abordar os compromissos diários com um espírito positivo. “Não nos podemos deixar desanimar devido às dificuldades que hoje todos sentimos.” Para agir contra a adversidade, o grupo criou uma rede de auto–ajuda. “Se preciso de …

Leia mais »